.Poeta e Pensador

ruiemanuelpais
Domingo, 31 de Outubro de 2010

VERSEJAR PELA CAUSA ESPIRITUAL - POEMA DE RUI PAIS

 

 

 

 

VERSEJAR

PELA CAUSA ESPIRITUAL

 

Neste versejar está o Espírito da poesia

Afasta o utópico e afirma-se no real

Neste sonho que vindo da Ásia

Expande toda a causa Espiritual!

 

Este versejar promove esta arte

Indo ao cerne dos pensamentos

E ao encontrar a estrela da sorte

Entende o valor dos sentimentos!

 

Neste versejar tão ocasional

Está a absolvição de cada Alma  

Toda a mudança de perfil transcendental

Substitui o Mundo Velho pelo Novo Drama!

 

Rui Pais

31/10/2010

 

 

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais



 

publicado por Emanuel às 23:20
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

ACRÓSTICO DE RUI EMANUEL PAIS A e B

 

 

ACRÓSTICO DE RUI EMANUEL PAIS

VERSÃO B

 

Renascer é a Vida após a morte

 Uma alma tem um carácter forte

Imortal na Terra observa os Céus     

    Eleva-se dia após dia para Deus.

 

Mentes maldosas vêm à aventura

Agredindo o meio até à exaustão

Na Mãe Terra sente-se a amargura

Unindo-se para inverter a situação.

 

Emanuel leva-os de regresso ao Lar

Livra-os das águas que vêm do mar

Prevendo com a argúcia do profeta

 

A data vaticinada é tida como certa

Inédito o evento pela sua subtileza

Siga a sua Alma e a Voz Natureza!

 

Rui Pais

26/10/2010

 

 

 

ACRÓSTICO DE RUI EMANUEL PAIS

VERSÃO A

 

 Renascimento abraça-se após a morte

 Uma alma contém um carácter forte

Imortal na Terra observa os Céus     

    Eleva-se dia após dia para Deus.

 

Mentes más provam sua fraqueza

Ao agredir o meio até à exaustão

Natura Terra Mãe que indelicadeza

Unidos contra Ti numa provocação.

 

Emanuel leva-os de regresso ao Lar

Livra-os das águas que vêm do mar

Prevê com aquele cuidado dum profeta

 

Antevendo a profecia porque estava certa

Inacreditável este facto pela sua natureza

Sabedoria ou acaso… não há uma certeza!

 

Rui Pais

25/10/2010

 

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais

publicado por Emanuel às 22:34
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

O ACESSO À FERTILIDADE - POESIA ESPIRITUAL

 

 

O ACESSO À FERTILIDADE

 

Eu sou o caudal da fonte perpétua

O fluxo da Vida por Deus abençoada

Forneço à humanidade toda a água

Encharco o solo duma só assentada.

 

Estou na essência do vosso sustento

Venho celebrar um pacto de intimidade

Trago na bagagem meu amigo o vento

E proponho-lhes o acesso à fertilidade.

 

Lego à terra esta singular riqueza a fluir

Tão cristalina como a pureza dum diamante!

Um filão único que jamais se poderá exaurir

Nutrindo o ambiente e sua Vida abundante!

 

Rui Pais

12/10/2010

 

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais



 

publicado por Emanuel às 19:33
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 23 de Outubro de 2010

POEMA UMM RIO E PENSAMENTOS SELECCIONADOS

 

 

A decisão é um risco enraizado na coragem de ser livre. Paul Tillich

 

Deveríamos ter mais paz se não nos ocupássemos com o que os outros dizem ou fazem. Thomas A. Kempis

 

Coloque-se no meio da correnteza de força e sabedoria que flui para sua vida. Então, sem esforço, você é impelido para a verdade e para a satisfação perfeita. Ralph Waldo Emerson

 

Amar a si mesmo é o começo de um romance para toda a vida. Oscar Wilde

 

Somos o que fazemos repetidamente. Por isso, o mérito não está na acção, mas no hábito. Aristóteles

 

 

UM RIO

 

Um rio faz seu percurso natural…

Recebe a chuva que cai espaçada…

Depois de deixar a terra encharcada

Ruma para a foz num ciclo imortal.

 

Um rio é um manancial eterno

Onde as águas fluem serenas.

Um rio é envolvente e fraterno

Um caudal de brancas açucenas.

 

Um rio quando chora dissimula

Oculta as lágrimas nessas águas.

Um rio não pode parar, circula…

Envia para o fundo suas mágoas.

 

Um rio é um curso de água pura…

Transporta a vida e seu sustento…

Num trajecto que flui pela planura…

Vezes sem conta e sem lamento!

 

Rui Pais

 

publicado por Emanuel às 22:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Outubro de 2010

UN SOL de ALFONSINA STORNI

 

 

UN SOL

Mi corazón es como un dios sin lengua,
Mudo se está a la espera del milagro,
He amado mucho, todo amor fue magro,
Que todo amor lo conocí con mengua.

He amado hasta llorar, hasta morirme.
Amé hasta odiar, amé hasta la locura,
Pero yo espero algún amor natura
Capaz de renovarme y redimirme.

Amor que fructifique mi desierto
Y me haga brotar ramas sensitivas,
Soy una selva de raíces vivas,
Sólo el follaje suele estarse muerto.

¿En dónde está quien mi deseo alienta?
¿Me empobreció a sus ojos el ramaje?
Vulgar estorbo, pálido follaje
Distinto al tronco fiel que lo alimenta.

¿En dónde está el espíritu sombrío
De cuya opacidad brote la llama?
Ah, si mis mundos con su amor inflama
Yo seré incontenible como un río.

¿En dónde está el que con su amor me envuelva?
Ha de traer su gran verdad sabida...
Hielo y más hielo recogí en la vida:
Yo necesito un sol que me disuelva.

 

ALFONSINA STORNI

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais

 

publicado por Emanuel às 11:39
link do post | comentar | favorito
|

APOGEU E DECADÊNCIA - ESPIRITUALIDADE

 

 

APOGEU E DECADÊNCIA

 

Nasci no fecho duma viciada Era

No final da vida a morte não espera

Há os que são engolidos por um vórtice

E os que irão renascer lembrando a Fénix.

 

Na Terra tudo o que é novo torna-se velho

Fenece o homem como fenece o escaravelho

Depois dum apogeu há sempre uma decadência

É quando o ser humano se perde na consciência!

 

Rui Pais

12/11/2008

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais

publicado por Emanuel às 11:30
link do post | comentar | favorito
|

UNIVERSALIDADE - POEMA DE MIGUEL TORGA

 

 

 

UNIVERSALIDADE


Aqui declaro que não tem fronteiras.
Filho da sua pátria e do seu povo,
A mensagem que traz é um grito novo,
Um metro de medir coisas inteiras.

Redonda e quente como um grande abraço
De pólo a pólo, a sua humanidade,
Tendo raízes e localidade,
É um sonho aberto que fugiu do laço:

Vento da primavera que semeia
Nas montanhas, nos campos e na areia
A mesma lúdica semente,

Se parasse de medo no caminho,
Também parava a vela do moinho
Que mói depois o pão de toda a gente.

Miguel Torga

 

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais



 

 

publicado por Emanuel às 11:19
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

POEMA DE ALFONSINA STORNI - EL RUEGO

 

POEMA DE ALFONSINA STORNI

El Ruego 

Señor, Señor, hace ya tiempo, un día
soñé un amor como jamás pudiera
soñarlo nadie, algún amor que fuera
la vida toda, toda la poesía.

Y pasaba el invierno y no venía,
y pasaba también la primavera,
y el verano de nuevo persistía
y el otoño me hallaba con mi espera.

Señor, Señor, mi espalda está desnuda.
¡Haz restallar en mí con mano ruda
el látigo que sangra a los perversos!

Que está la tarde ya sobre mi vida,
y esta pasión ardiente y desmedida
la he perdido, Señor, ¡haciendo versos!

Alfonsina Storni

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

 http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais

publicado por Emanuel às 23:17
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 3 de Outubro de 2010

UM SER DOADOR - POEMA ESPIRITUALIDADE

 

 

UM SER DOADOR

 

Um ser que se sente doador

Não vai em busca de receber

Levanta-se cedo ao amanhecer

Pensando num gesto benfeitor!

 

Rui Pais

02/10/2010

 

publicado por Emanuel às 17:41
link do post | comentar | favorito
|

COISAS DO CLIMA - POESIA

 

 

COISAS DO CLIMA

 

O dia muda de repente

Vai-se o Sol e fica coberto

Seguido por rajadas do vento

 

Um dia com o clima incoerente

Sem conseguir alegrar o ambiente

À beira-mar sente-se o desconforto

 

Os veraneantes insurgidos contra o tempo

Enquanto deixavam as praias ao abandono

Sentiram o Verão ceder o lugar ao Outono!

 

Rui Pais

 

 

http://pensamentospoesiaemanuel.blogspot.com/

 

 http://ruipaispensamentos.blogs.sapo.pt/

 

http://www.youtube.com/user/ruiemppais

 

publicado por Emanuel às 17:32
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. PEQUENOS POEMAS - NOVA ER...

. ...

. DEUS ESTÁ EM NÓS - POESIA...

. A Tábua da Esmeralda - He...

. A ARTE DA NATUREZA - POE...

. QUERO CANTAR UMA CANÇÃO -...

. DIA INTERNACIONAL DA MULH...

. DENTRO DE MIM - POESIA ES...

. A FONTE DA ETERNIDADE

. "O QUARTO MUNDO" POESIA E...

.arquivos

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

.favorito

. SER POETA É LUTAR PELA PA...

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds